quinta-feira, 28 de setembro de 2017

O Que Aconteceria Se Você Parasse de Comer Açúcar Por Uma Semana

Comer muito açúcar pode afetar seriamente a sua saúde. O que vai acontecer com o seu coração, cérebro e pele se você parar de comer açúcar por pelo menos uma semana? 




segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Tem problema de intestino? Há um tipo de laranja que pode ajudar você.


Além de rica em vitamina C, a laranja-da-baía --aquela sem semente-- também pode ser uma importante aliada para o bom funcionamento do seu intestino. É o que aponta um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa em Alimentos da USP (Universidade de São Paulo), que comprovou a relação da ingestão do suco da fruta a mudanças na composição da flora intestinal.  

Mudanças que, como define a bióloga Elisa Brasili, autora do estudo, são "bastante positivas" e favorecidas pelo "aumento das famílias de bactérias Veillonellaceae e Ruminococcaceae", que, entre outros benefícios, reestruturam a a flora e reduzem as doenças inflamatórias intestinais, tais como a doença de Crohn, a retocolite ulcerativa e outras inflamações de cólon. 


Outro tipo de laranja analisado pelo estudo foi a laranja-cara-cara, que não é comumente comercializada no Brasil, mas que também favorece a flora intestinal. 


"Neste caso, observamos um aumento significativo nas famílias das bactérias Mogibacteriaceae e Tissierellaceae, que são alteradas em vários tipos de doenças, tais como o Parkinson." 


Todas as laranjas podem ter esse efeito? 


Não se sabe se outros tipos de laranja podem ter o mesmo efeito. Essas espécies foram escolhidas para a pesquisa por serem ricas em licopeno, substância "anti-inflamatória" e capaz de bloquear o crescimento de células cancerígenas. 


"Esse diferencial nos fez pensar que esses dois tipos de laranja poderiam ter um efeito ao organismo diferente das outras. E conseguimos provar isso."


Os resultados do estudo foram observados em um ensaio clínico realizado com 21 voluntários saudáveis de 20 a 43 anos. A flora intestinal de cada um deles foi analisada antes e depois de eles tomarem 500 ml de suco diariamente por uma semana. 


Ingestão tem que ser contínua 


Mas, como destaca Brasili, as mudanças na flora intestinal dependem da ingestão frequente dos sucos de laranja-da-baía e laranja-cara-cara. Não adianta tomar o suco uma única vez. Isso porque basta mudar os padrões da dieta, que a a flora intestinal se altera novamente. "É como tomar probióticos. Quando você ingere, há benefícios. Quando para de tomar, os benefícios diminuem." 


Os estudos ainda são preliminares e, segundo a pesquisadora, ainda não é possível recomendar a ingestão dos sucos para pacientes que sofrem de doenças inflamatórias intestinais crônicas ou que têm a composição da flora intestinal alterada, como os obesos. "O próximo passo é fazer ensaio clinico com voluntários não saudáveis."  


https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/09/25/tem-problema-de-intestino-ha-um-tipo-de-laranja-que-pode-te-ajudar.htm


18 COISAS QUE VOCÊ FAZ ERRADO


Existem por aí inúmeros truques para facilitar as tarefas cotidianas na cozinha, que nós nem suspeitávamos que existissem. Nesta seleção, aqui vai alguns dos erros mais comuns que cometemos e que poderíamos deixar para trás.




15 ALIMENTOS QUE NUNCA FARÃO VOCÊ ENGORDAR

Por incrível que pareça, é possível comer alguns alimentos à vontade, mesmo se estiver preocupado com a silhueta. São comidas ricas em fibra e com baixo teor calórico. Assim, eles saciam a fome e, ao mesmo tempo, favorecem a digestão sem riscos de aumentar seu manequim. Mas tenha em mente que você não deve se alimentar só com eles. Sua dieta deve ser equilibrada, incluindo tanto carboidratos quanto proteínas e gorduras, em quantidade moderada.




sexta-feira, 22 de setembro de 2017

FIBROMIALGIA: A LUTA DE QUEM, COMO LADY GAGA, SOFRE COM UMA DOR ‘INVISÍVEL’


As pessoas que sofrem de fibromialgia têm que lidar com certo preconceito de quem não entende como sintomas tão intensos, como dor constante e generalizada, não têm causa definida. E como exames laboratoriais e de imagem não conseguem mostrar o que está acontecendo no organismo dessas pessoas. 

Pacientes estão tentando dar mais visibilidade à síndrome, que voltou ao centro das atenções após a cantora Lady Gaga cancelar a apresentação no Rock in Rio e abordar o tema no documentário “Gaga: Five Foot Two” – que estreia nesta sexta-feira, 22, na Netflix. Mas ainda esbarram na dificuldade para ter diagnóstico preciso, atendimento especializado e de lidar com o preconceito na sociedade, no trabalho e na família. 


O que é fibromialgia, a doença que fez Lady Gaga cancelar seu show no Rock In Rio 


Presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia, Georges Christopoulos explica que a fibromialgia é uma desordem dos centros que regulam a dor, fazendo com que as pessoas sintam dor generalizada. “A causa ou o conjunto de causas ainda não foram estabelecidos, mas acomete entre 2% e 4% da população mundial, entre 30 e 55 anos e, principalmente, mulheres.” Segundo ele, 50% dos pacientes têm depressão e são frequentes distúrbios do sono, cansaço, alterações urinárias e intestinais. “Esses pacientes podem sentir dor ao mínimo toque. Até um abraço pode provocar a dor.” 


A conquista mais recente nessa luta foi na terça-feira, com a aprovação pelo Senado de projeto de lei, agora em análise pela Câmara, que prevê criar o Dia Nacional de Conscientização e Enfrentamento à Fibromialgia em 12 de maio. 


“É uma conquista, porque há médicos que não reconhecem a síndrome, os pacientes têm problemas gravíssimos em família, com amigos e no ambiente de trabalho, porque as pessoas não reconhecem a fibromialgia, já que não há exames para provar. Não queremos dar só visibilidade à síndrome, mas ao fibromiálgico. Somos invisíveis e sofremos bullying e humilhação”, diz Sandra Silva, de 56 anos, da Associação Brasileira dos Fibromiálgicos. 


Tratamento Sandra recebeu o diagnóstico há 12 anos e conta que os pacientes começaram a luta para ter a data integrada ao calendário nacional no ano passado. Eles batalham também para que, com a difusão de informações, os pacientes tenham um diagnóstico precoce e um tratamento adequado. “Nossa maior questão é que existe o tratamento multidisciplinar no SUS (Sistema Único de Saúde), mas só no papel. 


A Portaria 1.083/12 determina o tratamento de dores crônicas, inclui a fibromialgia, prevê o tratamento medicamentoso e não medicamentoso. Mas a maioria só recebe o diagnóstico depois de muito tempo de peregrinação. Quando tem um reumatologista, não tem um fisioterapeuta capacitado para esse público.”


Em nota, o Ministério da Saúde informou que no ano passado foram registrados 113 procedimentos relacionados à fibromialgia no SUS ao custo de R$ 70,9 mil. 


Membro da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor, Levi Jales afirma que o reconhecimento do problema é queixa frequente dos pacientes. “Essa síndrome limita muito a qualidade de vida do paciente.”


Apoio 


Há três anos, a publicitária Etiennie Mori Pimenta, de 37 anos, passou três meses sem conseguir sair da cama por causa da síndrome, diagnosticada em 2013. Ela conta que as dores começaram quando tinha 24 anos, mas que sinais já apareciam desde a infância. 


“Tenho um histórico de médicos que não me passaram o diagnóstico ou não quiseram se aprofundar. Encontro uma sociedade maldosa e desinformada, que não sabe como é desesperador estar travada em uma cama com menos de 40 anos de idade. Quando me menosprezam, viro as costas, mas nem todo mundo consegue fazer isso.” 


Etiennie diz que tem uma rede de apoio para ajudá-la, que inclui o marido e os três filhos. “Não quero que uma pessoa faça o meu trabalho, mas fazer no meu tempo. Quero que as pessoas me apoiem ” Mesmo assim, conviver com a dor não é fácil. “Às vezes, uma pessoa encosta em mim e é como se me desse um tapa, sinto fisgadas, mas me acostumei. Sei que tenho de respirar, contar até dez e relaxar. Se tensiona, sinto mais dor.”



https://acrediteounao.com/fibromialgia-lady-gaga-dor-invisivel/



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...